Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Dentre todas as alterações e movimentações geopolíticas atuais, as que têm ocorrido no mercado de tecnologias causam impactos severos na economia mundial e revelam a forte influência de governos com seus respectivos interesses protecionistas. É o caso da guerra comercial movida por Trump (e que não se sabe se será pacificada por Biden), refletida na produção do iPhone 12.

É uma guerra na qual a Apple está entre o governo dos EUA e a China. Por conta da qual, é possível notar uma espécie de determinação para que seja evitado o fornecimento de peças e componentes que tenham sido produzidos na China.

publicidade
Mudança de país

Um forte indicativo disso é notado ao se desmontar um iPhone 12 Pró, lançado recentemente. A composição do smartphone é feita com mais de 25% de peças sul coreanas. Um grande peso disso é pelas telas OLED, fornecidas pela LG e pela Samsung, que também fornece chips de memória para o aparelho. Um pouco menos de 45% são itens produzidos na Europa ou nos EUA. 25% das peças ficam divididos entre Japão, de onde vêm três tipos de lentes de câmera, e Taiwan. Quanto à China, menos de 5% dos componentes do iPhone 12 Pró são fornecidos por empresas de lá.

Isso irá durar? Às vésperas de ser concretizada a vitória de Joe Biden para assumir o lugar de Trump, certezas e incertezas continuam alimentando as rotinas geopolíticas. Um governo democrata nos Estados Unidos, apesar de possuir um discurso bastante diferente daquele feito pelo republicano, não significa prontamente mudanças nos rumos atuais de adaptações e novas alocações de fábricas fornecedoras de componentes tecnológicos pelo mundo.

Joe Biden, novo presidente dos EUA

Reprodução

O CEO da Foxconn, principal parceira de fabricação dos produtos da Apple, já declarou recentemente que a China não é mais a fábrica do mundo. A empresa é taiwanesa e o Taiwan não é reconhecido como país pela China, mas apenas um território chinês rebelde. Em sua posição geopolítica histórica, sempre foi alinhado e defendido pelos EUA e outros países ocidentais. Assim, ele está do outro lado na guerra comercial exemplificada nos componentes do iPhone 12.

Via GizmoChina.

publicidade