Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Os “episódios judiciais” da ação antitruste contra o Google parecem ter mais reviravoltas do que as principais batalhas de Game of Thrones (a última temporada não existe). Dessa vez a Apple e outras empresas de tecnologia se manifestarem contrárias a que o governo dos Estados Unidos compartilhe com os advogados do Google, documentos confidenciais usados no processo antitruste.

A primeira foi a ação antitruste que a empresa de Mountain View enfrenta nos EUA. Em seguida a reclamação de um grupo de 165 empresas europeias para que se adote uma linha mais dura contra o monopólio da companhia.

publicidade

Agora por meio de um documento protocolado no Tribunl Federal em Washington na sexta-feira (20) a Apple disse que as informações fornecidas ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos são “extremamente sensíveis”. A companhia teme que se os advogados do Google tiverem acesso às informações do documento haverá “danos substanciais” a Apple.  Outras empresas como Amazon, AT&T, Microsoft, Oracle, Comcast, Sonos, Duck Duck Go e T-Mobile compartilham da mesma opinião.

No banco dos réus

O Google enfrenta nos EUA uma acusação de monopólio em buscadores e anúncios online. Além de também ser acusado de pagar bilhões de dólares  a outras companhias –  como a Apple – para manter o Google como mecanismo de pesquisa padrão para iPhone e outros produtos.

Desde que o Departamento de Justiça dos EUA mais 11 estados americanos iniciaram a ação  contra o Google –  por abusar de sua posição dominante no mercado para excluir seus concorrentes – começaram as preocupações sobre o vazamento de informações, mas a situação parece estar longe de um desfecho. O juiz distrital Amit Mehta – designado aleatoriamente para o caso, ainda não se pronunciou a esse respeito.

Uma sugestão do próprio governo americano é classificar como “ultrassecretos” parte da documentação e informações fornecidas por algumas dessas empresas. Assim é possível impedir que os advogados do Google tenham acesso. O argumento para impedir que essa documentação chegue até eles é exatamente para evitar que o Google fortaleça ainda mais sua hegemonia no mercado.

publicidade

Não é de hoje que os negócios do Google estão sob investigação. Recentemente o governo turco aplicou uma multa de US$ 26 milhões ao Google por concorrência desleal em seu negócio de publicidade além do buscador de pesquisas impedir as concorrentes  de aumentar o tráfego na internet.

Via Giz China