Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Os Fleets foram lançados mundialmente há uma semana e o Twitter já precisou corrigir um bug que deixou o recurso visível após o período de 24 horas.

A área de suporte do Twitter precisou vir à público para informar que recebeu diversas queixas sobre Fleets que continuaram visíveis após o período de 24 horas e reportou que seria um problema técnico de backlog que já foi resolvido.

publicidade

Através de tweets, a empresa informou que alguns desenvolvedores salvaram a URL de um Fleet ativo e, depois de 24 horas tentaram acessá-lo e conseguiram visualizar o post por conta do problema. O bug dos Fleets não foi considerado pelo Twitter como uma falha de privacidade ou segurança, uma vez que os posts são públicos. Também foram reportados bugs como Fleets visíveis para internautas que não estavam logados na rede social e visualizações não computadas pela rede social.

publicidade

“Nosso objetivo é mostrar a lista de pessoas que visualizaram seu Fleet, mas não garantimos integridade por motivos técnicos e experiência. Por exemplo, resumimos a lista quando está longa”, informou a empresa sobre o bug reportado por diversos usuários descontentes. Todas as queixas dos usuários têm sido levadas a sério pela empresa, que tem atuado para dar feedback e resolver as questões.

Conversa efêmera

Os Fleets foram lançados oficialmente em 17 de novembro como posts de curta duração usados para “compartilhar pensamentos momentâneos” e iniciar conversas entre os usuários do Twitter. O recurso foi testado inicialmente em países como Brasil, Itália, Índia e Coréia do Sul e pode ser usado para compartilhar textos, fotos e vídeos por meio do aplicativo para Android e iOS.

Imagem: Brett Jordan/Pexels/CC