Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Já começaram as especulações em torno da próxima geração do iPhone, que há está sendo chamado de iPhone 13. Com previsão de sair no próximo outono, o novo iPhone 13 terá uma nova tecnologia de baterias flexíveis, que vai permitir manter a sua capacidade ocupando menos espaço físico.

A informação foi divulgada pelo analista de mercado Ming-Chi Kuo, um dos mais conceituados quando o assunto é Apple.

publicidade

Segundo ele, será a primeira vez que o iPhone 13 e o iPhone 13 Mini usarão uma tecnologia chamada de “soft battery”, ou seja, uma tecnologia de baterias flexíveis que reduz o número de camadas, tornando ela bem mais fina. Ming-Chi Kuo revelou, ainda, que as empresas Jialianyi,  Xinxing e Huatong serão as fornecedoras deste tipo de bateria.

Em tempo: a mesma fonte disse, em outra ocasião, que os seguintes modelos, o iPhone 13 Pro e o iPhone 13 Pro Max, receberão lentes ultra-grande angular, compostas por seis lentes de plástico e um sistema de foco automático. Também de acordo com ele, o  iPhone SE 13 receberá uma tela de 6 polegadas e Touch ID.

O que são as baterias flexíveis que estarão no iPhone 13?

Bateria de lítio flexível: (crédito: Nature Communications)

As baterias flexíveis foram apresentadas pelos pesquisadores da Escola Politécnica Federal de Zurich (ETH Zurich), na Suíça. As baterias flexíveis podem ser usadas em dispositivos como eletrônicos vestíveis e smartphones dobráveis. Sua principal característica é a flexibilidade: ela pode ser dobrada, esticada e torcida sem deixar de funcionar. Tudo isso sem prejudicar suas características elétricas.

publicidade

De maneira técnica, as baterias flexíveis são feitas de lítio-íon, como as atuais. Porém, são feitas de maneira diferente: são utilizadas duas camadas de polímero flexível impregnado com carbono, formando uma espécie de “sanduíche”. Essas camadas funcionam como ânodo (polo negativo) e cátodo (polo positivo). Para garantir o fluxo de corrente, é utilizado nas baterias flexíveis uma camada microscópica de flocos de prata. O principal diferencial é que esses flocos vão se sobrepondo uns aos outros, de modo que não percam o contato entre si. O resultado: mesmo que a bateria seja deformada, esse contato não é extinto.

Outro ponto positivo das baterias flexíveis é que, por utilizar eletrólitos à base de água, elas não são inflamáveis. Então, não existe risco de que as baterias flexíveis peguem fogo, como tem acontecido de maneira recorrente ao longo dos anos.

Agora, é esperar para conferir!

Via Phone Mantra.