Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

A pandemia afeta muitos setores, inclusive o da tecnologia. Por conta disso, a produção do iPhone 12, da Apple, atrasou cerca de um mês para finalmente chegar na mão do consumidor final, o que finalmente ocorreu em outubro último. Porém, mesmo com as dificuldades e um preço mais caro notado nas prateleiras, esse modelo do smartphone tem se tornado fundamental para o crescimento de algumas empresas fabricantes, impactando diretamente em seus lucros.

A primeira a anunciar que o iPhone 12 foi um dos principais a alavancar seus lucros foi a Qualcomm. A fornecedora dos modens 5G dos aparelhos da Apple viu sua receita crescer 73% no último trimestre, isso em relação ao mesmo período de 2019.

publicidade

iPhone 13 pode ter 1 TB de capacidade, duas vezes mais que o iPhone 12 da foto. Imagem: Apple/Divulgação

Agora, é a vez da Foxconn abrir o champanhe! A empresa de Taiwan, que fabrica todas as unidades do iPhone 12 Pro e 12 Pro Max, e cerca de 70% do iPhone 12 e 12 Mini, só tem motivos para comemorar. E, inclusive, afirmou que vai investir pesado nos Estados Unidos.

Foxconn: investimentos nos EUA e lucros são anunciados

O presidente da Foxconn, Liu Young-Way, revelou que a fabricante teve um lucro US$ 1,08 bilhão entre julho e setembro. Porém, o valor é quase igual ao lucrado pela empresa no ano passado. Mas, se o fato da pandemia afetou os números, o que terminou por atrasar a produção dos aparelhos e ainda gerar prejuízos para a companhia, o iPhone 12 saiu na frente das demandas de 2020.  Isso garantiu um aumento da receita de 10% da empresa, que deve crescer ainda mais no ano que vem.

Fábrica de iPhones da Foxconn

publicidade

A maré boa ainda fez com que a empresa mantivesse os planos dos investimentos nos EUA. O foco seria direcionar os esforços para a sua fábrica de Wisconsin, que, segundo divulgado anteriormente, ainda não gerou empregos suficientes para conseguir isenção fiscal. Ou seja, nada agradável para um investimento de US$ 10 bilhões. Por isso, algumas mudanças devem ocorrer na fábrica, cujo foco será desenvolver equipamentos de inteligência artificial.

Via Gizmochina.