Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Quem viu o espetacular, como de costume, último Apple Event, no qual foi apresentado o iPhone 12, deve ter notado a parte em que a Apple explica por que tirou o carregador. (Quem não viu, veja aqui.) A Vice-Presidente de Políticas Ambientais da empresa, Lisa Jackson, literalmente subiu no telhado para falar da preocupação da empresa. E não deu pra deixar de notar como a Apple, deixando o mato crescer naturalmente em volta de sua sede, parece se preocupar com essa imagem. Mas, afinal, é verdade? Tirar o carregador do iPhone 12 foi um ato para salvar o ambiente? Se foi, qual seu impacto prático?

Lisa Jackson Apple

Lisa subiu no telhado. Qual foi o resultado? (Reprodução)

A posição da Apple é que diminuir o tamanho e peso da caixa economiza no transporte, diminuindo as emissões de gases estufa. As pessoas também poderão reciclar seus carregadores antigos, diminuindo as emissões na produção. E, na última tacada, evitá-se a poluição de carregadores velhos jogados no lixo.

publicidade

Mas será mesmo que as intenções da Apple são tão nobres assim? Muita gente tem desconfiado. Um deles é o colunista C. Scott Brown, do Android Authority. Okay, o site é sobre Android, mas Brown levantou argumentos bem interessantes para ficarmos com um pé atrás. São eles:

1. A Apple ainda faz o carregador

Mesmo se forem em menor número, e se a conta do reuso de carregadores fecha, a Apple continua a fabricar os carregadores. E continua a faturar US$ 19,00 (lá fora) por suas emissões.

2. O cabo não é compatível com quase nenhum dispositivo

Como as pessoas vão reciclar um carregador que ninguém tem? A questão é que o cabo do carregador do iPhone 12, que vem na caixa, é compatível com pouquíssimos dispositivos. A conexão Lightning-to-USB-C só foi usada em duas versões do iPhone, a 11 Pro e 11 Pro Max. O carregador de qualquer outro iPhone não vai servir com o novo cabo.

3. Outros dispositivos não permitem carregar na mesma velocidade

Vamos dizer então que você ignore o cabo padrão. Conecte um USB-C padrão do iPhone antigo. Sim, ele também carrega! Mas espero que você esteja disposto a se sacrificar pelo planeta. Porque, sem o Lightning, esses dispositivos entregam a 1/4 da potência padrão do carregador do iPhone 12. Todos os outros carregadores já usados por iPhones funcionam a 5 watts de potência. Menos os do iPhone 11 Pro e Pro Max que são exatamente os que já encaixam no cabo. E tem 18 watts no lugar dos 20 watts. Então o ponto 1 não é alterado.

publicidade
4. Dispositivos têm que ser certificados pela Apple

Tá bom, você decidiu esperar. Tudo bem carregar na velocidade antiga. Mas isso quer dizer que você pode comprar um carregador no camelô ou usar o velho de guerra de um Android? Não! O carregador precisa ser certificado para iPhone pelo Programa MFi da Apple. Caso contrário, seu celular apita a falta.

Além disso, um argumento errado: levar em duas viagens emite mais gases do que em uma. Aí não. O que conta é o peso e, exceto pela caixa, que também seria maior e mais pesada com o carregador, mas levar seis toneladas de celulares em uma viagem ou elas e mais seis toneladas de carregadores em duas viagens dá na mesma. É literalmente trocar seis por meia dúzia (seis por uma dúzia uma dividida por dois).

Enfim… Todos podem amar a Apple por seu design e qualidade, sua preocupação em ao menos parecer preocupada, e o vistoso matagal em volta da sede. Mas o resultado de tirar o carregador do iPhone 12 pelo ambiente parece bem menos espetacular que o anunciado. E deixa aquela pulga atrás da orelha do consumidor que a Apple queira apenas lucrar com carregadores.

Via Android Authority.