Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Depois de ter uma grande popularidade desde sua chegada no Brasil, a ferramenta Shorts do YouTube agora poderá ser uma fonte de renda mensal para os criadores de conteúdo. Criada principalmente para competir com o TikTok, a ferramenta terá uma espécie de monetização para tentar alcançar as visualizações de vídeos curtos da rede social chinesa.

Recentemente, o YouTube criou um fundo de recompensa de US$ 100 milhões (cerca de R$ 500 milhões, em conversão) para pagar os criadores do YouTube Shorts ao longo de 2021 e 2022. A monetização estará disponível também para os brasileiros. De acordo com o YouTube, os criadores de conteúdo do Shorts poderão ganhar até US$ 10 mil (o equivalente a R$ 50 mil) por mês. A melhor notícia é que o canal não precisa estar gerando receita na plataforma atualmente.

publicidade

Hoje (03/08), o YouTube postou um vídeo explicando como o fundo de recompensas da plataforma vai funcionar. Confira abaixo:

Como é explicado no vídeo, os pagamentos podem variar de acordo com a popularidade dos vídeos. Assim, o criador vai ganhar de acordo com quantas pessoas estão visualizando o conteúdo a cada mês e em qual região o público se encontra.

Os requisitos para a qualificação

Além do Brasil, para receber as recompensas, os criadores de conteúdo devem residir nos seguintes países: Índia, Indonésia, Japão, México, Nigéria, Rússia, África do Sul, Reino Unido ou Estados Unidos.

publicidade

Dessa forma, para preencher os requisitos, os criadores devem ter enviado pelo menos um Short qualificado nos últimos 180 dias na plataforma, precisam ter a idade mínima da maioridade de cada país (ou então ter a permissão dos responsáveis) e os vídeos devem ser originais, sem marcas-d ‘água ou logotipos de outras empresas. Além de claro, aceitar as diretrizes da comunidade e as políticas de direitos autorais e monetização do YouTube.

Ao The Verge, o diretor de produtos do YouTube, Neal Mohan disse que o principal objetivo do Shorts é dar voz aos  criadores. “Se o criador quiser fazer isso por meio de um documentário de duas horas sobre um determinado tópico pelo qual é apaixonado, o YouTube deve ser o lugar para isso. Se eles querem fazer isso por meio de um curta de 15 segundos, que mistura seu hit favorito de seus artistas favoritos, eles devem ser capazes de fazer isso”, finalizou Mohan destacando as possibilidades do YouTube.