Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O app de controle de natalidade Natural Cycles ganhou a aprovação do FDA nos EUA para usar um anel smart, como o Oura, para medir a temperatura das usuárias para prever quando elas podem engravidar. Por enquanto, a função do app com o anel só está disponível numa versão beta privada.

O Natural Cycles usa um algoritmo de rastreamento de ciclo menstrual e medição de temperatura que indica os dias férteis da usuária. Atualmente, a usuária precisa medir sua temperatura todo dia pela manhã com um termômetro e colocar o número no app para ter essa informação, já que a temperatura do corpo em descanso aumenta durante a ovulação.

publicidade

App de controle de natalidade com anel smart

 

Mas com a possibilidade de usar um anel smart para rastrear a temperatura durante o sono, e com a medição sendo transferida automaticamente para o aplicativo, as previsões se tornam mais precisas. A nova função com anel torna o app Natural Cycles o “primeiro método de controle de natalidade vestível” do mundo, segundo uma declaração da companhia.

Como foram os testes para aprovação no FDA

Para conseguir a aprovação do FDA, o Natural Cycles testou o Oura com 40 mulheres que já tinham experiência com o app, e analisou 155 ciclos menstruais delas. O algoritmo do app conseguiu prever com sucesso o período de ovulação das usuárias, usando tanto a medição por termômetro quanto a do anel smart. Mas com o Oura, as usuárias tinham em média 1,6 dias “não férteis” a mais no app do que com a medição por termômetro toda manhã.

publicidade

Segundo Elina Berglund, cofundadora e CEO do Natural Cycles, a companhia começou a investir na pesquisa com medidores vestíveis a pedido das usuárias. “Vimos que algumas usuárias tinham problemas em lembrar de tirar sua temperatura toda manhã”, Berglund disse ao The Verge. A companhia também está trabalhando em seu próprio hardware vestível de medição de temperatura.

Também ao The Verge, Rebecca Simmons, pesquisadora e especialista em fertilidade da Universidade do Utah, apontou no ano passado que as pesquisas sobre apps de controle de natalidade e monitores de temperatura usáveis ainda são limitadas. “Temos um longo caminho pela frente antes de poder dizer ‘sim, esses aplicativos realmente conseguem dizer o que precisamos saber para prever nossa fertilidade’”, completou.