Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Google informou que está fazendo mudanças em seu algoritmo de busca para ocultar sites de calúnias que podem ser listados quando o usuário procura o nome de uma pessoa. Além disso, a empresa também implementou recentemente um novo conceito chamado “vítimas conhecidas”, em que o foco é suprimir esses sites após denúncias de ataques.

Algumas das mudanças no algoritmo já foram feitas pelo Google e outras estão planejadas para os próximos meses. A empresa, ao que tudo indica, está agindo em resposta a artigos recentes do The New York Times, que documentam como a indústria da difamação ataca as vítimas com a ajuda involuntária do Google.

publicidade
Como agem os sites caluniosos

Os procedimentos nocivos acontecem, por exemplo, quando sites postam conteúdos polêmicos e não verificados sobre supostos trapaceiros, predadores sexuais, golpistas e etc. Maus usuários da internet caluniam outras pessoas e espalham falsas informações sobre quem desgostam. Como o algoritmo do Google busca não ter vácuo, postagens anônimas acabam aparecendo nos resultados de pesquisa com os nomes dessas vítimas. Os sites, então, cobram das pessoas prejudicadas pequenas fortunas para removerem as postagens.

O Google possui formulários de solicitação de remoção de conteúdos que podem ser utilizados pelos usuários gratuitamente (acessando aqui). É possível remover imagens pessoais íntimas ou explícitas não consensuais, pornografia falsa involuntária, conteúdo sobre o usuário em sites com práticas de remoção exploradoras, informações financeiras, médicas e de identidade nacionais selecionadas e conteúdo “doxxing” – que expõe informações de contato com a intenção de causar danos. Sobre cada uma dessas remoções, há informações que podem ser acessadas aqui.

Os formulários recebem milhões de acessos por ano, segundo o Google. Porém, muitas das vítimas na internet não sabem da existência deles. Eis então que surgiram os chamados “gerentes de reputação” e outros oportunistas cobrando das pessoas pela remoção de conteúdos dos resultados de pesquisa no Google, quando elas mesmas poderiam remover sem custos.

Um avanço importante

Partindo do fato de que o Google responde por cerca de 90% das buscas globais online, seu esforço em ocultar sites de calúnias pode ser considerado um avanço importante para as vítimas de difamação na web. Pandu Nayak, chefe da equipe de qualidade de pesquisa do Google, disse que a empresa começou a lutar contra sites que cobram das pessoas a remoção de conteúdo difamatório há alguns anos. Porém, as medidas tomadas não vinham dando um resultado positivo suficiente.

publicidade

As mudanças anunciadas agora no algoritmo buscam dificultar que os sites de calúnias ganhem tração no Google por meio de métodos como copiar e repostar conteúdo difamatório de outros sites. O resultado de medidas tomadas anteriormente nesse sentido pode ser visto, por exemplo, com sites voltados para ataques à reputação alheia que perderam relevância. A empresa aplicará automaticamente mais proteções de classificação que visam evitar que o conteúdo de sites de baixa qualidade apareça para pesquisas de nome. O Google tem testado essas mudanças, com funcionários fazendo comparações lado a lado, com novos e antigos resultados de pesquisa.

Via Engadget e Search Engine Land

Imagem: Alex Green/Pexels/CC