Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A versão remasterizada do game Samorost, que teve sua primeira versão lançada para computadores em 2003, é um quebra-cabeça de aventura no estilo point-and-click (onde a ação é realizada através de um clique na tela), no qual você controla um bizarro gnomo espacial com um nariz gigante e botas marrons, explorando um mundo desconhecido, interagindo com personagens e objetos que encontra pelo caminho.

O principal objetivo do Samorost é resolver os enigmas de cada mapa para passar de fase. As ações de cada mapa possuem uma sequência, então não adianta clicar em outro personagem ou objeto sem antes cumprir a ação anterior. Se você nunca ouviu falar em Samorost antes, não se sinta excluído, eu também não, até jogar a nova versão lançada para Android e iOS.

publicidade
Tudo o que torna Samorost bizarro

Caso já conheça o estranho mundo de Samorost, saiba que ao contrário da primeira versão para PC, que apresentava objetos e mapas fixos o tempo todo, no novo e remasterizado Samorost 1, o céu ganha vida e tem um certo movimento, dando a sensação de deslocamento dos mapas. Agora, se você nunca ouviu falar no jogo antes (que era o meu caso), aconselho a não jogar a noite, pois pode tomar um susto na primeira vez que se deparar com um dos personagens, seu gráfico mistura fotos da vida real com animação, parecida com uma montagem bem mal feita no Photoshop, como, por exemplo, um rosto humano com corpo de desenho fumando um narguilé no espaço. De fato, bem bizarro e específico.

O gráfico diferente de Samorost 1

O gráfico diferente de Samorost 1 (Imagem: Divulgação/Amanita Design)

Gráficos chamam a atenção

Bizarrices à parte, testei a gameplay do novo Samorost 1. Por não ter jogado a primeira versão do jogo, fiquei meio perdido no começo, já que o jogo não oferece nenhum tipo de dica ou tutorial do que fazer nos mapas para passar de fase (mas essa é justamente a ideia de um quebra-cabeça, se virar mesmo). Depois de um tempo jogando entendi a mecânica, o personagem precisa ir de um lado para o outro do mapa interagindo com os obstáculos que cada lugar disponibiliza para tocar e assim. Você troca de mapa quando conseguir passar. O gráfico é diferente e bizarro sim, e apesar de talvez ter pesadelos com o indivíduo da imagem acima, curti bastante a textura dos mapas (madeiras e plantas). Já a trilha sonora calma só torna o jogo ainda mais estranho.

Apesar de conseguir dar zoom, o jogo poderia ter a opção de aproximar mais a tela no gnomo que controlamos, já que os iniciantes no game, podem ter dificuldade de localizar os objetos. Vale dizer que caso você curta muito o jogo e tiver coragem, você ainda pode comprar um brinquedo de pelúcia do Samorost.

Disponibilidade

Com gráficos remasterizados e aprimorados, o primeiro jogo da série Samorost foi lançado ontem (20/05) tanto na App Store, quanto na Play Store. Além disso, o jogo também está disponível para download gratuito no PC (através da Steam e itch.io). Apesar do primeiro game da série ser lançado só agora, os outros dois jogos da sequência (Samorost 2 e Samorost 3) já haviam sido colocados nas plataformas de apps do Google e da Apple antes, porém, ambos são pagos. Quem estiver interessado pode baixar a terceira versão do jogo para Android e iOS.

publicidade

Mostrando um pouco da nova versão do game, a Amanita Design (desenvolvedora do jogo), escreveu no Twitter: “O primeiro jogo #Samorost , originalmente lançado em 2003, está disponível GRATUITAMENTE no PC, Mac, iOS e Android”. Já a trilha sonora do game fica por conta do compositor Floex.

Além do próprio jogo, outra estranheza (mas no bom sentido) que me deparei quando estava jogando Samorost 1 no Android, foi que em nenhum momento fui interrompido por anúncios, isso é cada vez menos comum em jogos gratuitos e é algo importante a ser citado.