Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Na quarta-feira (28/04), usuários do Facebook foram ao Twitter reclamar sobre o bloqueio de uma tag criticando o governo indiano na plataforma. A hashtag ResignModi pede a renúncia do primeiro-ministro Narendra Modi, que muitos indianos consideram responsável pelo caos em que o país se encontra por causa da pandemia de coronavírus.

Atualmente, a Índia está registrando 360 mil novos casos de Covid-19 por dia, e leitos hospitalares e oxigênio estão em falta. A fabricação de vacinas no país teve que ser desviada de doses para exportação para a distribuição interna.

publicidade

Usuários do Facebook procurando pela tag contra o governo indiano recebiam a mensagem de que as postagens estavam temporariamente escondidas. “Alguns conteúdos desses posts vão contra nossos Padrões de Comunidade”, dizia a mensagem.

publicidade

O bloqueio escondeu mais de 12 mil posts com a hashtag ResignModi, principalmente mostrando hospitais indianos lotados, médicos estafados e parentes chorando por seus mortos. Segundo o Buzzfeed News, o Facebook bloqueou a tag de crítica ao governo indiano por cerca de três horas no país.

Depois das reclamações, o Facebook desbloqueou a hashtag. Segundo um porta-voz da plataforma: “Bloqueamos temporariamente essa hashtag por engano, não porque o governo indiano nos pediu, e desde então a restauramos”.

A polêmica da hashtag bloqueada “por engano” vem na esteira de outro problema de relações-públicas sério enfrentado pelo Facebook Índia. Em outubro, Ankhi Das, a chefe de políticas da plataforma, se demitiu depois de acusações de ter impedido a remoção de posts de líderes do partido da situação, o Bharatiya Janata, com discurso de ódio contra a minoria muçulmana em Deli. Das também é acusada de usar sua posição no Facebook para ajudar na campanha de Narendra Modi em 2014.

Via The Guardian

Imagem: Still Pixels/Pexels