Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A fintech Cora, startup brasileira que oferece soluções financeiras para pequenas e médias empresas, anunciou o recebimento de um aporte internacional de US$ 26,7 milhões que, em valores atuais, são cerca de R$ 151 milhões. O valor é resultado de uma rodada de investimentos Series A liderada pelo fundo americano Ribbit Capital, com participação da argentina Kaszek Ventures (dos fundadores do Mercado Livre) e das também americanas QED Investors e Greenoaks Capital.

Com a quantia recebida, a startup pretende investir em tecnologia e desenvolvimento de produto, na expansão e contratação de pessoas e na viabilização de testes de concessão de crédito dentro da plataforma. Sobre a expansão de sua equipe, a Cora pretende passar dos atuais 110 funcionários para 230 ainda este ano. Já quanto à oferta de créditos dentro do plano de ampliação de sua base de clientes, a pretensão é de chegar a 380 mil clientes ainda em 2021.

publicidade
Investimento em meio à crise da Covid-19

No anúncio publicado no blog da Cora, a equipe da fintech declara que, “em menos de um ano de operação, foi possível reunir uma comunidade de quase 60 mil empreendedores”. A startup também aponta que o investimento chega em meio à crise desencadeada pela pandemia da Covid-19, o que deixa o ambiente delicado para boa parte dos pequenos negócios. Diante disso, nas palavras da empresa, ela se vê impulsionada “a agir com ainda mais responsabilidade e agilidade”.

No ano passado, a Cora recebeu licença do Banco Central para ser instituição financeira e passou a oferecer conta digital, cartão de débito Visa, PIX sem taxas e ferramentas de gestão. Como público-alvo, a fintech busca prestar serviços como transferências, pagamentos de conta e emissão de boletos para pequenos negócios que possuem faturamento anual de até R$ 5 milhões.

Recentemente, a startup tornou grande parte de seus funcionários sócia, abrindo 8% da empresa, visando crescimento a longo prazo. Foi adotado um modelo de partnership, onde os colaboradores fizeram seus investimentos com o preço de referência igual ao do aporte feito pelas mesmas Ribbit Capital e Kaszek Ventures, no final de 2019. Na época, os fundos colocaram US$ 10 milhões na startup.

Via Reuters

publicidade