Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Apps de golpe conhecidos como fleeceware já deram um prejuízo de US$ 400 milhões para usuários da Play Store do Google e da App Store da Apple, segundo pesquisadores de segurança do Avast.

Fleeceware são aplicativos que oferecem um período de teste grátis, mas depois cobram taxas mensais excessivas de assinatura, mesmo depois que o app é deletado. Para parar de ser cobrado pelo aplicativo, o usuário precisa clicar em cancelar assinatura na Play Store ou App Store.

publicidade

Segundo a Avast, os principais apps fleeceware são de simulação de instrumentos musicais, leitura da palma da mão, editores de imagem, filtros para câmera, app de adivinhação do futuro, leitores de código QR e PDF, e até simuladores de slime. Como os pesquisadores apontaram, esses apps de golpe geralmente têm como alvo crianças e adolescentes que não leem os termos de serviço antes de baixar um aplicativo.

Rombo na conta bancária

E quando os pesquisadores falam em taxas excessivas, eles não estão exagerando. Com muitos desses apps de golpe, a brincadeira pode custar ao usuário até US$ 3.432 (quase R$ 20 mil) num ano. Na App Store, a equipe da Avast encontrou 134 aplicativos de fleeceware que foram baixados 500 milhões de vezes, rendendo US$ 365 milhões para os golpistas. Na Play Store, eles encontraram 70 apps de fleeceware que geraram uma renda de US$ 38,5 milhões.

Google e Apple estão tentando fechar o cerco contra esse tipo de app de golpe exigindo mais transparência nos termos de serviço dos desenvolvedores. A Apple, por exemplo, está tomando medidas contra a prática de fleeceware se negando a distribuir apps com o que eles consideram “taxas irracionais de assinatura”.

Para se proteger desse tipo de golpe, valem as regras de segurança de sempre: ler os termos de serviço, não confiar em avaliações exageradamente positivas (que podem ser falsas) e sempre supervisionar crianças usando aparelhos com um cartão de crédito habilitado.

publicidade

Via AppleInsider

Imagem: Jp Valery (Unsplash)