Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O Facebook derrubou 185 contas e grupos de militares engajados em uma operação de influência de informação na Tailândia em sua rede social. As contas, todas ligadas à órgãos oficiais do governo, foram excluídas da plataforma sob alegação de “coordenação de comportamento inautênico”.

A empresa alegou que as contas derrubadas estavam engajadas numa ação direcionada às províncias do sul da Tailândia. A região, de maioria islâmica e falante da língua malaia, vive um conflito intermitente entre os revolucionários locais, que querem independência do governo monarquista e budista. O confronto já dura quinze anos e totaliza cerca de 7,000 mortos.

publicidade

O “comportamento coordenado inautêntico” envolvia 77 contas, 72 páginas e 18 contas de militares da Tailândia no Facebook, além de 18 perfis no Instagram. O representante militar do país não emitiu comentários à respeito, dizendo que o governo só comentaria em pronunciamento oficial.

Segundo o líder de cibersegurança do Facebook, Nathaniel Gleicher, “é a primeira vez que atribuímos uma de nossas derrubadas diretamente à conexões com as forças armadas”. A rede, ativa especialmente em 2020, usava de perfis falsos e outros reais para administrar grupos e páginas conectadas à inteligência militar. Parte das contas falsas investiam em anúncios pagos, com 700,000 seguidores seguindo pelo menos uma delas.

Gleicher conta que a justificativa para derrubar a campanha não está ligada ao conteúdo, mas sim, à falsidade ideológica. Os perfis utilizados para a campanha de influência denunciavam a violência dos revolucionários locais e se posicionavam a favor do governo monárquico. Em 2019, o Facebook tomou uma medida similar, apagando 12 contas e 10 páginas que usavam “personagens fictícias” para divulgação de conteúdo pró-governo.

Via Gadgets 360

publicidade

Imagem: Takeaway/Wikimedia Commons/CC