Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em Baden, ao oeste do estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, uma mulher afirmou ter sido vítima de um hacker, que instalou remotamente um app em seu iPhone. Donna Francis disse que esse ocorrido resultou em uma transferência indevida de US$ 1498 de sua conta para a conta do golpista, ou seja, foi um roubo de mais de R$ 8 mil, aproximadamente, em valores convertidos para nossa moeda.

Segundo Francis, o hacker teve acesso ao seu iPhone após ela ligar para um número legítimo de suporte da Apple, no dia 16 de fevereiro. O falso atendente então a enganou, solicitando para instalar remotamente um software para segurança do smartphone contra golpistas, o que culminou nas movimentações criminosas.

publicidade

Diante de seus olhos, Francis teve o app de sua conta bancária sendo acessado pelo hacker, enquanto pedia horrorizada para que ele parasse com o que estava fazendo em seu iPhone. Sem sucesso, ela viu toda a transação ser realizada e o falso atendente desligar a chamada assim que finalizou o golpe.

A versão da usuária

A história toda começou, segundo Donna Francis, quando ela recebeu um aviso em seu identificador de mensagens sobre uma chamada proveniente do “Suporte Xfinity da Apple”. Ela não atendeu de imediato, mas telefonou de volta para o mesmo número identificado e foi informada pelo atendente que a Xfinity (uma empresa de telecomunicações dos Estados Unidos que oferece serviços de internet banda larga) não possui suporte da Apple. O mesmo atendente, em seguida, aconselhou Francis a ligar diretamente para a Apple.

Donna Francis disse que então ligou para o número de telefone de suporte que constava no site da Apple, quando foi atendida por uma mulher. Após a usuária informar seus dados, foi transferida para o hacker que, com muita lábia e traquejo, informou falsamente que ela estava sendo vítima de golpes de pessoas da Rússia e da China.

O homem teria falado para ela que os supostos golpistas russos e chineses estavam tirando dinheiro de sua conta bancária. Foi quando o hacker pediu e assumiu o controle do iPhone de Francis para efetuar o golpe real.

publicidade

Depois de todo infeliz ocorrido, a vítima tentou usar o app de seu banco para cancelar a transação, mas foi em vão. O gerente de sua agência também informou a ela que o dinheiro não voltaria para sua conta mais. Francis diz estar se recuperando de um transplante de rim e que terá que tomar medicamentos contra rejeição do órgão pelo resto de sua vida, portanto, o dinheiro perdido torna a situação bastante complicada.

É necessário ter muita atenção em casos assim

O tipo de ataque relatado pela Donna Francis tem características de uma mistura entre falsificação em identificador de chamadas, interceptação e acesso remoto de celular e, não tão menos complexa, lábia do golpista. É possível, por exemplo, haver fraude em um identificador de chamadas de uma pessoa não muito atenta aos golpes cibernéticos através de procedimentos como o phishing.

Já a interceptação de celular e acesso remoto, muitas vezes, exigem que o usuário dê permissão ao hacker, como aparenta ser o caso de Donna Francis e seu iPhone. Por esse motivo, é importante ter em mente que a equipe de suporte ou segurança da Apple não tem como procedimento oficial pedir aos usuários a instalação de softwares de acesso remoto. Muito menos há como os atendentes da empresa saberem como estão as movimentações bancárias dos proprietários de iPhones, convenhamos.

Via Apple Insider e Pittsburgh’s Action News

Imagem: Alex Green / Pexels / CC