Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Você tem um dispositivo Nest Mini ou Echo em casa? Nos últimos anos aumentou o consumo de smart speakers no Brasil. Aos poucos — mas ainda em ritmo mais acelerado que a adoção de outras tecnologias — fazer buscas por voz ou comandar outros dispositivos por fala vem se tornando parte da rotina de muitos.

No mercado internacional, dados da Strategy Analytics apontam que no 1º trimestre de 2020, o único daquele ano sem o impacto da pandemia, 28 milhões de smart speakers foram comercializados no mundo. O crescimento foi de 8,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, 2019. Projeções da agência apontam para um salto de 21% agora em 2021, com um mercado abarrotado de opções até 2024, quando esse segmento já terá comercializado 640 milhões de gadgets do tipo.

publicidade

Já aqui no Brasil, Hootsuite e We Are Social foram atrás de números que apontem as tendências do segmento localmente. A primeira é uma empresa voltada para a gestão de marcas em redes sociais, e a outra uma agência de publicidade. Os resultados mostraram que, no país, quatro a cada dez brasileiros usam voz para realizar buscas, ou então dar algum comando a um dispositivo inteligente.

Jovens primeiro

Sendo assim, o Brasil teria rapidamente chegado a uma adesão na casa dos 39%, enquanto a média global é de 43%. Com toda certeza o público jovem foi o primeiro grupo a entrar de cabeça no universo dos smart speakers: na faixa dos 16 aos 34 anos, metade dos que participaram do estudo confirmaram que usaram comandos de voz ao menos uma vez nos 30 dias anteriores ao levantamento.

Em outras palavras, não é à toa muitas marcas nacionais e internacionais já vendem produtos para casas inteligentes por aqui, com a Positivo sendo um dos exemplos de companhia que passou a oferecer um portfólio variado de lâmpadas, câmeras, tomadas e outros aparelhos que podem ser comandados por voz via Google Assistente ou Amazon Alexa. O aumento do consumo de smart speaker no Brasil levou a um crescimento não só desse tipo de produto, mas de todo o ecossistema de gadgets que pode ser comandado por eles.

Google e Amazon

Assim, não assusta que já há alguns anos a Amazon esteja investindo bastante na linha Echo Dot e Echo Show no país. A primeira traz alto-falantes inteligentes integrados com a Alexa, e a segunda expande as possibilidades com um display para vídeos e monitoramento de câmeras de vigilância. Lá fora, a companhia de Jeff Bezos inclusive está lançando novos dispositivos experimentais com Alexa integrada.

publicidade

Já o Google marca presença há mais tempo com o Nest Mini. Com a popularização desses dispositivos, proporcionada pelo aumento de consumo no Brasil, vem sendo possível iniciar uma jornada no mundo dos smart speakers por preços em torno dos R$ 250. Depois disso, é possível ir aumentando as possibilidades não só de interação com o produto, como também de automação da casa.

Imagem: Jessica Lewis/Pexels