Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Rede social preferida dos coaches e outros usuários focados em crescimento profissional, o LinkedIn ficou fora do ar nessa terça-feira (23/02). Reportado inicialmente como um problema local nos Estados Unidos, qualquer brasileiro que entra na plataforma está se deparando com páginas lentas, incompletas, e que muitas vezes não carregam.

Mais que uma rede social, o LinkedIn é um portal de oportunidades para aqueles que montam seus currículos, conexões e publicações na rede. A plataforma conta com um banco de vagas e também de currículos, e é muito utilizada para recrutamento. A instabilidade hoje pode deixar muitos roendo unhas em virtude disso. Apesar disso, a Microsoft (que é dona do site) já está ciente do problema. Um aviso publicado no perfil oficial da plataforma no Twitter avisa que a companhia já trabalha para colocar no site no ar novamente.

publicidade

Alguns usuários estão presenciando um problema durante o acesso ao LinkedIn em celulares e computadores. Estamos trabalhando nisso enquanto nos pronunciamos e traremos atualizações sobre o ocorrido quando as obtivermos. Obrigado pela paciência!

publicidade

Segundo a gigante de Redmond, o LinkedIn está fora do ar devido a um problema que causa lentidão em algumas requisições à API do serviço, que seria um conjunto de códigos responsável por trazer ao usuário exatamente a informação que ele precisa acessar. Graças a essa falha a conexão entre o usuário e a página não está sendo estabelecida na maioria das tentativas. Quem consegue avançar um pouco fica preso em uma barreira de acesso com pedido de resolução de captchas.

Seja como for, nas redes sociais já há número expressivo de reclamações. Segundo o Down Detector — que monitora sites fora do ar — mais de mil usuários têm registrado, por hora, problemas com o LinkedIn. Ainda segundo portal, a última vez que a plataforma da Microsoft apresentou instabilidade que derrubou o site para os usuários foi em 26 de agosto de 2020.

Imagem: rawpixel