AcessóriosAudio-Technica lança nova geração de fones de madeira

Marina Schnoor3 semanas atrás4 min

Cansado dos fones de ouvido que parecem todos iguais? Então conheça o fone de ouvido com acabamento em madeira nobre ATH-WP900 da Audio-Technica, que além de ser bonito, tem uma excelente qualidade de som.

Para quem não conhece a Audio-Technica, ela é uma respeitada empresa japonesa fundada em 1962, há 47 anos na indústria de fones de ouvido, e há 25 anos fazendo fones com acabamento em madeira.

Além desses fones serem bem diferentes dos modelos convencionais, o visual de um lado difere do outro, devido à própria qualidade do material natural. A madeira usada nos fones da Audio-Technica é flame maple (madeira de bordo), um tipo muito usado na fabricação de instrumentos de corda como violões, guitarras e violinos. O acabamento dos ATH-WP900 é assinado pela FujiGen, fabricante de instrumentos musicais, que também é japonesa. Segundo a Audio-Technica, seus fones vão ficar “mais bonitos com o tempo”.

Fone de madeira Audio-Technica case

 

Segundo a empresa, usar madeira não foi uma escolha meramente estética. O material do ATH-WP900 também visa proporcionar “resposta ideal e som preciso”. Internamente, os fones contam com drivers de 53 mm de diâmetro com “revestimento de carbono tipo diamante” (DLC, em inglês). Ímãs potentes internos visam garantir reprodução “superlativa” de sons de baixo alcance. Além disso, uma placa de circuito impressa (PCB) regula o fluxo de ar para os diafragmas, entregando som de alta definição.

Outra exclusividade do ATH-WP900: cabos com conectores A2DC (Audio Designed Detachable Coaxial), desenvolvidos pela própria Audio-Technica, e que prometem diminuir a rotação dos conectores que causam ruídos indesejados e quedas de som nos fones, além de garantir uma maior durabilidade.

Mas quanto custa essa brincadeira? Com todas as características exclusivas, os fones de madeira da Audio-Technica estão saindo por US$ 650 (quase R$ 3.500) na Amazon, ou seja, mais caro que os AirPods Max da Apple. Mas, para os audiófilos, ou seja, aqueles que realmente são obcecados por som de alta definição, parece ser um bom investimento.

Via Tech Radar