Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em um estudo recente publicado na Nature, pesquisadores da London School of Economics (LSE) usaram inteligência artificial para analisar o comportamento de recrutadores em sites de empregos. O que a IA deles descobriu é que o sistema de recrutamento muitas vezes esconde preconceitos inconscientes.

A ferramenta de IA do LSE, que usa algoritmos de aprendizado de máquina supervisionados, foi aplicada na plataforma de vagas de emprego de serviço público da Suíça. A pesquisa usou dados de 452.729 buscas de 43.352 recrutadores, 17,4 milhões de perfis e 3,4 milhões de visualizações de currículos. Depois, os pesquisadores analisaram quanto tempo os recrutadores passavam analisando currículos, e quando eles decidiam entrevistar um candidato.

publicidade

Candidatos de origem imigrante e de minorias têm 19% menos chances de serem contatados pelas pessoas responsáveis por contratações, diz o estudo. E esses preconceitos no recrutamento também afetam os gêneros. Mulheres em indústrias dominadas por homens têm 7% menos chance de serem chamadas para entrevistas com base no currículo, e o mesmo acontece com homens tentando vagas em um ramo dominado por mulheres.

Outra descoberta da IA: o nível de discriminação varia conforme a hora do dia. Pessoas responsáveis por contratações tendem a gastar menos tempo analisando currículos antes da hora do almoço e perto do final do expediente. Nesses horários, candidatos imigrantes e de minorias acabam 20% mais prejudicados no processo que pessoas da maioria da população com as mesmas qualificações.

Segundo o Dr. Hangartner, um dos autores do estudo: “Os resultados sugerem que preconceitos inconscientes, como estereótipos sobre minorias, têm um impacto maior quando os recrutadores estão cansados e acabam caindo em uma tomada de decisão intuitiva”.

Para resolver o problema, os pesquisadores sugerem que sites de recrutamento deem menos ênfase para nome e nacionalidade dos candidatos, colocando essas informações abaixo de formação, qualificações e experiência.

publicidade

Via The Next Web

Imagem: Fauxels / Pexels