Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A denúncia é baseada em um relatório divulgado em reportagem do The Information. A Apple é acusada de “fazer vista grossa” às leis trabalhistas na China porque seus fornecedores descumprem normas referentes à contratação de trabalhadores temporários. Uma dessas violações refere-se a uma lei adotada na China a partir de 2014, que limita os trabalhadores temporários a 10% do total do quadro de funcionários. Em via de regra esses trabalhadores têm menos benefícios e proteções legais que os permanentes.

Segundo a publicação, na época a Apple pesquisou 362 das fábricas fornecedoras na China e identificou que metade extrapolava a cota de trabalhadores temporários em mais de 50%, descumprindo o que a lei determinava.

publicidade

Porém a única medida adotada pela Maçã foi solicitar aos fornecedores que apresentassem planos para reduzir a contratação dos temporários. Á época, o governo chinês estipulou um prazo de doias anos para que as empresas se ajustassem às novas regras.

Sob pressão

Segundo o documento a Apple “pressionou” os fornecedores para continuar cumprindo com os prazos na linha de produção, o que inviabilizava atender a demanda sem contratar mão de obra temporária. O relatório apontou ainda a postura da Apple de ignorar as leis trabalhistas, mesmo que indiretamente. Além disso estava “tornando difícil” para os fornecedores cumprir a lei.

Quando a lei efetivamente entrou em vigor não se verificou que as determinações tinham sido cumpridas pelas fornecedoras e a Apple teve ciência de que 81 fábricas ainda ultrapassavam o limite de 10% de temporários preconizado pela lei.

Em resposta às acusações de violação a Apple declarou que “trabalha em estreita colaboração com os fornecedores para corrigir as violações da lei”. Também ratificou que seu código de conduta de fornecedor é “o mais forte da indústria” e se aplica igualmente a todos os parceiros. Admitiu que “ocasionalmente” os fornecedores contratam mão de obra temporária e que monitorava de perto  trabalhando com os fornecedores em planos de ação corretiva para solução do problemas”.

publicidade

Essa não é a primeira vez que a Apple quebra leis trabalhistas chinesas. As informações recém descobertas apontam para um problema crônico entre as fornecedoras da empresa. Talvez por isso, recentemente a empresa pediu à fabricante Foxconn para fazer os iPads no Vietnã ao invés da China.

Via: Imore