Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

No dia 3 de dezembro, o YouTube começou a experimentar um novo jeito para criadores apelarem caso seu canal seja suspenso. Agora, produtores de conteúdo que acreditam terem sido injustiçados poderão fazer um vídeo explicando seu caso para a equipe de políticas da plataforma. A equipe então vai reavaliar o conteúdo do canal com a alegação em mente. Se o vídeo realmente mostrar que o criador segue as políticas do YouTube, a monetização do canal suspenso será restaurada antes de 30 dias.

Por enquanto, o experimento com vídeos só está disponível para uma pequena porcentagem dos criadores do YPP, o Programa de Parceria do YouTube. A declaração oficial da plataforma não especifica quem são os criadores elegíveis para vídeos de apelação, mas segundo o texto, eles pretendem expandir o programa em breve. No momento, a maioria dos donos de canal suspenso precisam preencher um formulário no site da rede social.

publicidade

Sendo assim,  parece que um criador com o canal suspenso terá muito mais trabalho para reverter a decisão do YouTube. A plataforma também não esclareceu qual o formato do conteúdo para esclarecer seu caso. Fora isso, os avisos de suspensão tendem a não ser muito claros sobre os motivos da penalidade. Além de tentar descobrir o que exatamente o pessoal do YouTube viu de errado no seu canal de maquiagem, por exemplo, agora os criadores terão que roteirizar, filmar, editar e postar sua justificativa para tentar voltar ao ar. Será que ajuda fazer uma paródia com sérias restrições orçamentárias de um clipe da Lady Gaga?

Via Android Police