Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em agosto, o Mi 10 Ultra chegou ao mercado. O smartphone surpreendeu por suas inovações, e sua capacidade de bateria com potência de 120W foi um dos maiores destaques. Com ele, a Xiaomi avança na corrida para lançar o carregador mais potente. E agora pode ir além, com um dispositivo de 200W no próximo ano.

Evolução dos carregadores

A potência de carga dos celulares teve um grande salto nos últimos anos. Em 2019, o mercado contava com carregadores de, no máximo, 65W de potência. O que permitia uma bateria ir do 0 ao 100% de energia em aproximados 30 minutos. Já em 2020, a velocidade aumentou consideravelmente. 

publicidade

Em agosto deste ano, a Xiaomi lançou seu mais recente modelo, o Mi 10 Ultra. O smartphone apresenta diversas melhorias com relação ao antecessor. Porém, um dos pontos que mais chamou a atenção foi seu carregador de 120 W. O dispositivo concorre contra o carregador da Oppo de 125 W lançado em julho do mesmo ano. 

Essa potência significa um avanço surpreendente em relação aos demais modelos atuais, já que a carga total é alcançada com 20 minutos. Porém, os chineses não pretendem parar por aí. Um post recente do usuário Digital Chat Station na rede social chinesa Weibo vazou o projeto da Xiaomi de um carregador de 200W para 2021.

Apple vai com calma

Essa é uma corrida da qual a Apple está fora. O MagSafe leva 3 horas para carregar um iPhone 12. Isso é nove vezes o tempo que o super carregador chinês é capaz. 

Mas o estilo Rubinho é por opção. É fato que os 120 W+ dos modelos atuais sejam imensamente mais rápidos. Mas isso pode vir a um custo em segurança. O dispositivo magnético da Apple possui um sensor que verifica se é possível entregar a potência máxima na recarga sem estragar o smartphone. E daí alimenta o celular no esquema, digamos, slow food. 

publicidade

Também a nova tecnologia da Oppo apresenta maior degradação da capacidade da bateria. E os reviews do Xiaomi Mi 10 Ultra revelam que os 120W de potência superaquecem o celular, o que danifica o aparelho, ou pode ser risco até de incêndio. Como será um Xiaomi com um carregador de 200W?

Talvez, então, haja alguma sabedoria na Apple decidir ser tão old school.

Via Android Authority