Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Capturas de tela do app Facebook Gaming

O Facebook lançou oficialmente hoje seu app para assistir gameplays e compartilhar os seus jogos com os amigos, o Facebook Gaming. A informação inicial veio de uma matéria do The New York Times, e o app foi lançado globalmente hoje.

publicidade

Segundo o NYT, a previsão inicial era lançar o app em junho, mas com a quarentena provocada pelo novo coronavírus, a empresa decidiu antecipar seus planos. Ainda estão nos planos uma função de torneio, que deve ser lançada em breve.

Vale lembrar que este app vem sendo testado há um ano e meio, e depois das Filipinas, o Brasil foi o segundo país que recebeu o Facebook Gaming, que chegou por aqui no começo do ano passado.

Dos 2,5 bilhões de usuários mensais do Facebook, 700 milhões já estão consumindo conteúdo de jogos. O app tem duas funções, assistir a gameplays e transmitir streams ao vivo. Ele nasce com o propósito de ser um concorrente do Twitch, comprado pela Amazon seis anos atrás, e também do YouTube.

O Facebook Gaming é dividido em quatro seções básicas: jogos, streams de vídeo e clipes, streamers ou grupos (de jogos ou streamers). Ele também indica alguns streamers em uma seção própria. Mais do que os jogos próprios da plataforma Instant Games, o foco são os grandes jogos externos. Eles podem ser transmitidos pela página do Facebook, usando o recurso Go Live.

publicidade

Por enquanto, o app só está disponível para Android no Google Play, mas o Facebook também pretende lançar ele para iOS. Para isto, basta que a Apple aprove o app para que ele entre na App Store. Ainda não está bem claro se a transmissão de jogos externos vai funcionar no iOS, pelas limitações da política da App Store, o que reduziria bastante o apelo do app na plataforma.

Via Olhar Digital.